O diagnóstico – parte I

Sempre fui muito vaidosa, exagerada mesmo, do tipo de pessoa que não pode sair de casa se um fio de cabelo estiver fora do lugar. Sempre aceitei meu corpo, mas pensava que poderia melhorar uma coisa aqui, outra ali… Sou extremamente perfeccionista nas coisas que eu faço, com a minha aparência não poderia ser diferente. Toda essa  cobrança em mim mesma sempre foi baseada no que eu estabeleci como o meu próprio padrão de beleza e jamais por padrões que são impostos pela sociedade. Não vejo problema em quem gosta de se cuidar e não acho que seja futilidade, penso que cada um é dono de si e tem o livre arbítrio para fazer o que lhe proporcione bem estar e segurança.

Desde muito nova eu quis colocar silicone, era o meu sonho. Primeiro, porque  sentia que faltava algo ali, sabe? Segundo, porque sempre aparentei ter muito menos idade do que realmente tenho. Logo, achei que isso pudesse me deixar um pouco mais “velha”, então ficava pedindo pra minha mãe. Ela só permitiu depois de várias opiniões médicas, e, principalmente, por ela ter percebido que isso me deixaria feliz (sempre querendo me ver feliz <3). Então, em fevereiro de 2016 coloquei as próteses aqui em Brasília. O  cirurgião, foi indicado pela mãe de uma amiga e me passou muita confiança. Eu queria algo natural, adequado ao meu corpo, nada de exagero. E assim foi, eu fiquei super feliz da vida!

Em abril ou maio deste ano, vendo fotos minhas de biquíni e umas fotos de um ensaio que fiz com um profissional, comecei a achar que algo estava estranho. Parecia que minha mama estava torta, uma menor que a outra… mas como sou exagerada, pensei que pudesse ser coisa da minha cabeça ou excesso de vaidade, nem dei bola. Em julho, fazendo minhas inspeções comecei a pensar que minha prótese estava se deslocando, foi então que apalpando a mama esquerda senti um nódulo. Fiquei preocupada e falei com minha mãe que resolveu marcar uma consulta com o último mastologista que havia me atendido.

Dia 21 de julho fomos à consulta.  Minha mãe não ia comigo, mas acabou indo, ainda bem, porque ao ouvir a “bomba”, se estivesse sozinha, com certeza eu não saberia encontrar o rumo de casa. O médico era o mesmo que havia sido consultado em 2016 para opinar sobre a prótese de silicone.  Eu não vou citar nomes porque sei das consequências de expor alguém, só por isso, mas posso dizer que ele – embora tenha sido preciso no diagnóstico – foi desumano na forma como se expressou. Só posso pensar que, uma vez que tinha sido dele a última opinião que ouvimos para que minha mãe permitisse que eu colocasse o silicone, e ele sabia disso naquele momento, talvez ele tenha tido o receio de que pudéssemos querer responsabilizá-lo de alguma forma. Só encontro essa justificativa para que ele tenha praticamente gritado, como se gritasse a uma porta ou a um animal que não esboçaria qualquer reação ou sentimento que eu tinha câncer de mama. Ele foi totalmente frio, insensível. O que me ocorre é que, mesmo sendo qualificado falta-lhe respeito pela dor humana, parece-me que ninguém disse a ele ainda que cada pessoa é única e que não se diz a uma pessoa, seja qual for a idade dela, não importa quanto já tenha vivido, que ela tem um câncer, da forma como ele disse. Eu não queria que ele fizesse com que eu me sentisse coitadinha, tenho horror a isso. O que eu queria era ter recebido a “bomba” de uma forma mais digna, e não como se eu fosse a responsável por ela.

Sinceramente? Recebi a notícia como uma sentença de morte, eu realmente achei que estivesse com meus dias contados, e pior, por culpa minha, pois foi assim que aquele profissional fez com que eu me sentisse… Em total desespero eu pensava: vivi tão pouco, por que vou morrer tão jovem? Que dia terrível!!! Era uma sexta-feira e não havia muito o que fazer.

Tentei resumir ao máximo como recebi o diagnóstico, mas é uma longa história. Por isso, decidi separar em duas partes. Amanhã conto como foram os exames.

Beijos,

Bel ❤

16 comentários em “O diagnóstico – parte I

  1. Bel, você é uma inspiração enorme. Acho extremamente admirável a forma como você lida com as situações, até com as piores, como essa. Essa doença é minúscula e irrisória perto da mulher incrível, iluminada e forte que você é. Nunca se deixe abater por pessoas insensíveis como esse médico. Fé em Deus e nessa tua alma de guerreira que você vai sair dessa da melhor e mais rápida maneira possível. Beijo grande, princesa ❤ e parabéns pelo blog! Tá lindo 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que blog lindo! Tô tão orgulhosa😍 Você é uma escritora, detetive, maquiadora, oncologista e piadista NATA! Hahahaha quantos predicados!!!! 📝🕵🏻‍♀️💄🔬💉
    Nossa fase de desespero e medo ficou bem distante já! Olho pra trás e vejo o quanto já caminhamos! Sempre juntas 💞👭
    Estamos quase na nossa última vermelhinha!🌡 Hoje estamos nas mãos dos melhores profissionais, desde enfermeiros a oncologistas, não temos preocupações quanto a isso! Que Deus perdoe certos profissionais, que não lhes falte humanidade! O conhecimento não pode ser tal que anule a sensibilidade do homem. 🙏🏻🤞🏻

    Ps.: posta maaaaais!!!!! 🤣💞💞💞

    Curtido por 1 pessoa

  3. Oi Isabel, fiquei sensibilizada e orgulhosa com o teu blog e tua garra em estar passando por tudo isso. Tudo na vida tem um significado. Vencerá tudo isso!
    Como a Bia falou, tudo passa! Uma verdade… Bia passou por tudo isso é hoje e nosso exemplo de mulher guerreira . Como tu está sendo.
    Um grande Bjo da Orientadora do Leonardo Josiane ❤️❤️💐💐🙏

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Josi! Obrigada pelas palavras. Com certeza, nada é por acaso, também acredito nisso. Passarei por isso como a Bia passou, no futuro vai ser só mais uma história que eu vou contar pros outros! Vai passar logo sim 🙏🙏❤️❤️❤️🌻🌻🌻 beijo grande!

      Curtir

  4. Pura falta de sensibilidade daquele médico! Realmente acho que não se dá uma notícia dessa assim, sobretudo, sem a confirmação pelos exames mais específicos. Ainda bem que você é essa fortaleza em pessoa e não se deixou abater pela forma de agir desse médico.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Menina linda que acompanhei um bom tempo na infância com um jeitinho de brava e zangada rsrs, lembro me de seus cabelos esvoaçantes kkkk,sqn e hoje se transformou num mulherao lindo e como não poderia faltar um acréscimo ela também é uma fortaleza, também não poderia ser diferente vindo de onde veio isso é um mérito que carregas de berço ne?
    Pais maravilhosos e sem igual, não esqueço do que aprendi com eles nunca, Bebel você passará dessa etapa fácil fácil🌹, Deus abençoe abundantemente sua linda vida e seus dias ….🍀🍀 Bjs

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s