Como reagi aos 14 dias de Xeloda (Quimio Oral)

Bem que eu gostaria de fazer review de maquiagem ou de algum outro produto, mas é só o review da quimioterapia oral mesmo (ou Xeloda como preferir).

Eu, com toda a minha esperança, fé e positividade, esperava que os 14 dias com o Xeloda fossem tranquilos como o Dr. João disse que poderia ser, ele me disse que há pacientes dele que tomam e não sentem nadinha. Mas acho que para variar só um pouquinho eu estou fora das estatísticas… Incrível como sempre sou premiada! Minha primeira experiência com o Xeloda não foi das melhores, todo dia era uma novidade.

Senti enjoos que driblei com o velho e bom Vonau, senti dores nas pernas e cansaço, meu apetite foi de fome de leão à fome de passarinho! Sem contar com o meu humor, quem convive mais comigo percebeu, alô mãe!  Eu fiquei extremamente irritada, mas eu sei que esse não é o meu normal. Foi algo que fugiu do meu controle, eu acordava brava e ficava assim o dia todo, aos poucos foi ficando mais moderado. Começaram a surgir algumas manchas escuras nos meus dedos das mãos e as unhas dos pés estão ficando super escuras, de novo. Mas tudo bem, daqui alguns meses tudo voltará ao normal.

Agora estou fazendo a pausa de 7 dias, na próxima semana farei exames de sangue e levarei para o Dr. João analisar e então começo mais 14 dias da medicação.

O ponto X da questão é: câncer nunca mais! O caminho é árduo mesmo, ninguém disse que seria fácil. O Xeloda é uma medicação forte, apesar de ser em comprimidos não deixa de ser quimioterapia, não é? Não há recompensa sem luta, sem esforço e sem dor e, se essa é a minha cruz, vou carregá-la até o fim. Eu acredito piamente que nós conduzimos nossa vida de acordo com nossos pensamentos,  por isso acredito na minha cura e sei que isso é claramente possível de acordo com todas as medidas que têm sido tomadas. Para Deus absolutamente nada é impossível!

Minha rotina tem se dividido entre medicamentos, consultas, terapias e a minha reinserção ao mundo, aos pouquinhos tenho tentado retomar alguns hábitos antigos,  como dirigir, sair com as amigas (programas leves), ir à aula… Só que não tem sido fácil, mas isso é assunto para outro texto. A sede de viver esse mundão à fora continua imensa, meu coração bate ansioso esperando por isso, mas ainda tem chão por aí… Um dia de cada vez!

IMG_1064.JPG
Fé? Tenho! Força de vontade? Tenho! Acreditar? Acredito.  Falta o quê? Nada, porque para Deus, nada, absolutamente nada é impossível! E com esse pensamento positivo… posso conquistar o que eu quero. Acredito, confio e aceito. 

Beijos,

Bel ❤️