Encerrando uma fase com chave de ouro. Último ciclo de Xeloda!

Finalmente acabou o Xeloda!!! E foi ontem (29/08) no dia do meu aniversário, que presentão, né?! Oficialmente declaro como encerrado o meu tratamento pesado contra o câncer.

E o que eu quero dizer para você que vai tomar ou que toma a quimioterapia oral é que: é um tratamento confortável (porque tomamos os comprimidos em casa) e que embora existam os efeitos colaterais chatinhos como enjoos e pés/mãos manchados, tudo isso passa!

O que mais importa é a nossa saúde, não é mesmo? Vou enumerar algumas coisinhas que me ajudaram:

  1. Eu sofri alguns dias com enjoos e usei Vonau e o enjoo passava logo, também bebi bastante Gatorade de limão, sempre me ajudou!
  2.  Minha pele ficou ressecada e eu usei cremes hidratantes potentes.
  3. Meus pés e mãos ficaram manchados e bem escuros, sei que com o tempo isso vai sair, tenho paciência.
  4. Vez ou outra senti cansaço, mas uma boa noite de sono sempre resolveu.

img_5869

Há também quem diga que não sente absolutamente nada! Eu sei que só de falar a palavra ‘quimioterapia’ a gente se assusta, mas a minha experiência com o Xeloda foi relativamente tranquila. Só posso agradecer por ter tido a oportunidade de um excelente tratamento. Não tenho absolutamente nada a reclamar e sim mil e um motivos para agradecer.

Me sinto super bem, cheia de vida,  com saúde e com muita, mas muita sede de viver! Eu não sei como vai ser daqui pra frente, em setembro terei uma consulta com meu oncologista e ele irá me dizer como será, provavelmente ficarei fazendo exames de controle e devo tomar algum medicamento… Venho aqui no blog contar.

Nem estamos no final desse ano, mas já passei por muitas coisas, estou crescendo a cada dia e tenho superado barreiras! Não reclamo de nada, apenas busco aprender mais e mais com o que eu vivi. O câncer foi uma escola de amadurecimento na minha vida. rs

Minha mãe tem a minha eterna gratidão por ter vivido tudo isso comigo, por ter me apoiado e por sempre ter segurado a minha mão. Palavras não são suficientes para expressar tudo o que eu sinto… ❤

Bom, é isso! Me despeço dessa fase que levou 1 ano e 1 mês de tratamento, mas me despeço feliz, grata, com saúde, mais madura, revigorada e muito, muito feliz!

Beijos,

Bel ❤️

Dando sentido ao que eu vivi…

Hoje a Dra. Ludmila Thommen (oncologista do Hospital Universitário de Brasília) lançou o projeto “Movimento Vida” no HUB. É fato que nem todos têm o privilégio de acesso à boas informações e um tratamento oncológico digno. Pensando nisso e em mais outros fatores a Dra. resolveu iniciar esse lindo projeto. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Eu tive o privilégio de acompanhar o processo de criação do “Movimento Vida” de perto, junto com o Câncer Sem Tabu, além disso, tive espaço para contar a minha história levando fé e esperança para quem se encontra nessa luta, e também levamos os lindos lenços que recebemos de doações. Inclusive, obrigada quem doou… E quem quer doar é só entrar em contato comigo por aqui, por e-mail ou por direct no Instagram!

Aquela velha história de que: “Ganha mais quem doa do que quem recebe” é real! Sem palavras… ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Aos 21 eu me imaginava fazendo milhares de coisas, mas não imaginaria que eu estaria contando minha história para uma plateia… Minha mãe sempre diz que a gente faz um plano, mas que Deus tem outros. Essa é a maior verdade! Só cabe a nós aceitarmos tudo isso.

Foi um lindo dia… Só tenho a agradecer!

❤️🤲👏

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Beijos,

Bel ❤️

Quanta vida cabe em um ano?

Vamos lá, quanta vida cabe em um ano?

      Em um ano vivi numa montanha russa. Eu me achava frágil. Até que descobri um câncer de mama aos 20 anos, essa foi maior provação que já passei. Me redescobri e vi que sou forte e mais capaz do que eu imaginava. Vou fazer uma breve retrospectiva: fiz 16 qts venosas, fiquei internada 2 vezes, entrei no centro cirúrgico 3 vezes, fui furada inúmeras vezes, fiz inúmeros exames, passei por uma mastectomia radical bilateral (uma das partes mais difíceis, pois eu fui mutilada), vivi muitos altos e baixos, fiquei careca e ganhei 18kg a mais na balança. Por um tempo deixei de lado a minha rotina de estudos, vida social e sonhos de uma jovem da minha idade e fui imersa em um universo totalmente diferente do meu e esse universo incluía consultas, exames, medicações, quimioterapias e o medo constante da morte, o estigma de câncer e morte era muito forte para mim. Naquele momento a minha maior preocupação foi sobreviver. E a menor das preocupações foi ficar careca, inchada e com o rosto deformado. Algumas pessoas saíram da minha vida, mas pessoas muito especiais chegaram e vieram para ficar.

     Fiz amigos para a vida, chorei, sorri, tive dor, tive medo (e MUITO), tive compulsão por comer (por conta de tanto corticoide que eu tomei). Mas eu superei tudo isso, já perdi 10 kg, não tenho mais doença dentro de mim, meus cabelos voltaram a crescer, atualmente faço quimio oral – já foram 588 comprimidos! Faltam só 84 – e hoje sou uma nova Isabel. Aprendi sob duras penas muitas coisas que eu levaria anos para entender, mas eu sou grata porque aprendi a ser resiliente. Como diz a música: “você não sabe o quanto eu caminhei pra chegar até aqui…” E olha, caminhei demais, viu?! Em 365 dias a minha vida deu um giro de 360º e me mostrou uma coisa: tudo passa! Eu vivi um mix de sensações e eu podia muito bem ter desistido e ter me entregado para a doença, mas eu pensei bem e não dei o braço a torcer, apenas chutei um câncer lazarento para bem longe daqui e posso dizer bem plena que eu venci! 💪 | #instamission365

Beijos,

Bel ❤️