A vida na Sobrevida

Depois de um evento traumático como o câncer o termo Sobrevida chega ao nosso cotidiano. A Sobrevida nada mais é do que a vida ALÉM do tratamento. A nossa única certeza é a de que um dia não estaremos mais aqui, mas esse dia só a Deus pertence. E é exatamente por isso que a atitude mais inteligente que podemos tomar é vivermos o agora.

Eu pude entender e sentir na minha própria pele o quanto somos frágeis e vulneráveis. Por outro lado, também pude descobrir uma força dentro de mim jamais vista e de sentir o gosto da vitória e da superação, mas não é todo mundo que segue por essa estrada. Durante a minha caminhada acabo conhecendo muitas pessoas que passam ou que passaram pelo câncer.

Recentemente uma pessoa que eu tinha grande apreço e que conheci durante o meu tratamento acabou falecendo. Foi muito doloroso e nada fácil, mas eu tenho a certeza de que todos que passam por nossas vidas acabam deixando um pouco de si em nós. E apesar da pouca convivência, essa pessoa me deixou uma grande bagagem de aprendizado com um imenso exemplo de fé, perseverança e de muita força para eu sempre seguir em frente. Por isso mesmo, eu sei que nada é em vão, pois Deus é perfeito até nos pequenos detalhes.

Após enfrentar tantos desafios eu passei a enxergar a vida com outros olhos. Problemas que antes eu achava o fim do mundo acabaram tornando-se pequenos demais diante de um câncer que vivenciei,  comecei a valorizar muitas situações, atitudes e pequenos momentos que antes eu deixava passar batido… E se antes as minhas maiores ambições e aspirações fossem em torno de minha vida profissional, atualmente, a minha maior aspiração é ter saúde para viver pelo menos mais uns 60 anos.

Eu lutei tanto para viver e por isso mesmo sinto que minha vida é um dos meus bens mais preciosos. Sendo assim, na minha sobrevida o que eu mais quero é ter saúde em abundância, viver o presente, falar sobre coisas boas, ajudar quem precisa com a minha experiência, realizar os meus sonhos e seguir com muita positividade. Desejo que as conversas sobre morte e assuntos mórbidos não façam parte da minha vida e fiquem para trás. Acredito muito no fato de que somos como um ímã e que atraímos aquilo que emitimos, por isso procuro emitir só coisas boas.

Beijos,

Bel ❤️

Que venha 2018!

2017 foi um ano bem intenso e tenso! Me vi inserida nos mais diversos contextos e nas situações que eu menos esperava, mas que de alguma forma, serviram de aprendizado. Tenho a sensação de que amadureci alguns anos em um ano.

Conheci muita gente incrível e percebi o quanto sou rodeada de gente do bem e que me quer bem. Me vi com uma doença séria e achei que estivesse com os dias contados, mas de uma forma surpreendente me descobri mais forte do que eu imaginava e tenho conseguido encarar toda essa situação com leveza e positividade. Me aproximei mais de Deus, e me sinto amparada por Ele o tempo todo. Estou bem mais próxima da minha família e valorizo a cada dia a importância dessa união. Algumas pessoas se afastaram, outras se aproximaram, o que me fez ver quem realmente está ao meu lado. Me decepcionei também, mas ficou a lição de que eu sei exatamente o tipo de pessoa que quero dentro ou fora da minha vida. Fiz planos que não se concretizaram e me chateei por isso, mas ficou claro que está tudo nos planos de Deus.

Chorei, sorri, tive medo, senti dor, senti alívio, mas em todos esses momentos mantive fé. Aprendi a superar as adversidades, a manter a fé independente das circunstâncias, a ser resiliente, a persistir, a ter paciência e a valorizar as pequenas coisas que antes eu deixava passar batido.

A verdade é que o câncer me fez abrir os olhos, e eu sinto que se fosse como um despertar em mim para a vida, sinto muita vontade de viver,  tenho planos e projetos em mente, sinto vontade de ajudar outras pessoas, de estudar muito mais, de ver o mundo e de poder fazer a diferença. Quando você passa por uma doença que exige e mexe tanto com você, nada parece ser como antes, e comigo é assim, embora eu tenha apenas 21 anos, tenho a impressão de que o que eu já vivi não foi da maneira que eu deveria, e o meu desejo para  o próximo ano é de viver mais intensamente, com gratidão por cada mínimo detalhe,  com muita saúde, amor, luz e muita positividade. Que 2018 traga a minha cura e me surpreenda positivamente!

Beijos,

Bel ❤️

Aprendizado…

As pessoas têm me perguntado bastante o que eu tenho feito para me manter tão tranquila nessa fase. A verdade é que não é nada fácil, tenho que trabalhar a minha paciência diariamente, de modo a manter meu equilíbrio. Isso porque sou uma pessoa bastante agoniada e sedenta pelo imediatismo das coisas, e de repente meu mundo virou de cabeça para baixo. Tenho aprendido que a fé e a esperança são bases sólidas que todas as pessoas que passam por essa situação precisam construir. O apoio da família e de todos aqueles por quem temos apreço é essencial. Além disso, há a terapia também. No meu caso, tenho um psicólogo excelente, o qual considero auxílio de extrema necessidade. Tive que aprender – e ainda estou me aperfeiçoando – a ser filtro: filtro de pessoas, de coisas que escuto, de energias, de tudo o que quero manter por perto ou não.

O que tem sido um aprendizado intenso é quanto ao meu astral. O meu dia é definido pela forma como acordo, se acordo bem, será um bom dia, caso contrário, certamente será um dia complicado. Percebi que as quimioterapias brancas têm me deixado bem irritada e mal-humorada, mas o meu natural é ser uma pessoa tranquila, por isso também estou trabalhando essa questão.

Mas tem algo de uma importância enorme que me dei conta. Todos sabem que nosso corpo é uma engrenagem. Pois sim, pois me dei conta de que para que essa engrenagem misteriosa funcione perfeitamente precisamos contribuir para que cada coisa fique no seu devido lugar, de modo que cada parte da engrenagem exerça sua função com êxito. Por isso, tenho dito a mim mesma, e se você passa pelo mesmo que eu, certamente eu diria que o mais importante (apesar dos efeitos das quimioterapias, apesar da careca, apesar do inchaço, apesar dos enjoos, apesar das insônias), apesar de tudo o que o câncer nos traz, precisamos permitir que nossa engrenagem misteriosa continue funcionando perfeitamente. Por isso precisamos:

  • Ter fé no Pai, Senhor de todas as coisas!
  • Encarar com altivez o câncer porque ele não é maior que nós!
  • Acreditar que tudo é passageiro e aprendizado;
  • Continuar a viver da maneira mais positiva possível;
  • Nos cercar de pessoas do bem;
  • Nos livrar daquelas que sugam nossas energias;

Filtrar apenas aquilo que vai nos acrescentar algo, deixando de escutar besteiras que muitas vezes pioram muito o nosso dia;

E agradecer. Agradecer a Deus! Agradecer pela família, pelos amigos, por todos aqueles que oram por nós! E nos manter firmes na consciência plena de que não podemos nos desgastar por qualquer coisa, de modo que a nossa engrenagem misteriosa volte para o trilho.

IMG_7810
Campanha de conscientização que participei sobre o Outubro Rosa feita pelo Hospital Anchieta de Taguatinga – DF  

Beijos,

Bel ❤️