Sobre viver intensamente depois de um câncer

     Há dois anos eu jamais imaginei que minha vida pudesse voltar ao normal.

     Na época do diagnóstico a minha vida deu um giro de 360º. Eu me sentia angustiada e receosa com o que o futuro podia me reservar. Quando as pessoas me diziam: “Bel, isso vai passar” eu custava horrores a acreditar… Eu acreditava mesmo que só teria mais alguns dias ou poucos meses de vida. Mas os dias e os meses passaram… E eu sobrevivi!  Hoje eu sou a prova viva de que sim, tudo passa!!!

     Quando recebi o diagnóstico eu ficava horas e horas na internet atrás de mulheres e informações que pudessem me encorajar e me inspirar de alguma maneira. Encontrei várias mulheres, mas nenhuma da minha idade. Aquilo me inquietava bastante, pois eu estava realmente diante do desconhecido. Nesse momento eu passei a entender o que representatividade realmente significa. Logo em seguida eu criei o blog, comecei a compartilhar minha rotina e a desabafar e, consequentemente, o blog acabou por se transformar num canal de trocas.

     Agora, sempre recebo mensagens de meninas/mulheres jovens – geralmente na faixa dos 23 aos 26 anos –  me contando que foram diagnosticadas com câncer de mama e que eu tenho sido a primeira referência delas de superação e de inspiração. É muito gratificante saber que hoje eu posso ser para essas pacientes recém diagnosticadas o que eu não tive lá atrás…

     Bom, os últimos meses foram uma correria, comecei um estágio na minha área, tive muitas provas na faculdade e acabei ficando com o tempo bem apertado. Mas não reclamo. Eu senti muita falta de viver essa correria enquanto estive em tratamento. Essa rotina faz com que eu me sinta viva e saudável. Continuo indo ao médico direitinho, faço os meus acompanhamentos e continuo tomando o Tamoxifeno e fazendo as aplicações mensais de Zoladex, isso não mudou e eu já me acostumei, faz parte da rotina.

     Sim gente, tudo passa! Sou exaustiva nisso, mas é porque realmente passa mesmo. Aos pacientes que leem o meu blog ou que por ventura possam vir a ler: não desistam e não desanimem, pois existe muita vida depois do câncer! Mudamos física e mentalmente, mas para melhor. As cicatrizes fazem parte, são consequências da guerra que vencemos!

     E se antes eu era intensa, agora eu sou mais ainda. Com o câncer pude entender que não devo deixar nada para depois. A vida é agora!

Fonte: pinterest

     Fiquei um tempinho sem aparecer aqui no blog, mas sempre leio e respondo as mensagens e o meu e-mail. Continuo atualizando o meu projeto (Câncer Sem Tabu) e o meu instagram pessoal (que não é mais tão pessoal assim). rs

Sim, tudo passa!!! Cabelo cresce de novo… e eu aproveito todas as fases! 

Com amor,

Bel ❤️

 

 

 

A Importância do Teste Genético

Eu sei que a realidade do Brasil é a de que nem todos possuem acesso ao teste genético e que a decisão de um médico indicar ou não um teste genético foge da realidade de muita gente. Bom, não quero me aprofundar muito nesse assunto, pois acredito que não seja da minha alçada falar sobre isso, o que pretendo é só deixar um alerta de que se você tem casos repetitivos de câncer na sua família ou se você teve um ca jovem, seria interessante procurar um Oncogeneticista para que se investigue isso mais a fundo.

O teste genético é de extrema importância para nós, pacientes oncológicos, para que possamos encaminhar o nosso tratamento. A cada dia que passa a medicina evolui  em direção à uma orientação e tratamentos – que ouso dizer – personalizados com as  particularidades de cada paciente (é o que eu sempre digo: cada caso é um caso e nós somos únicos, nem adianta se comparar). O teste genético é importante, seja para que se descubra pacientes que são portadores de doenças genéticas, seja para a busca da detecção precoce de possíveis genes que predispõem ao câncer.

Esta semana fui para um encontro de pacientes portadores da Síndrome de Li-Fraumeni (uma herança genética de predisposição ao câncer) que ocorreu no Hospital Sírio Libanês em São Paulo, estiveram presentes especialistas no caso, dentre elas, a Dra. Maria Isabel Achatz e a Oncogeneticista Dra. Renata Sandoval (sou paciente dela). Pude aprender e tive acesso à informações de extrema importância, como por exemplo, os cuidados que devo ter com minha saúde daqui pra frente.

Procurar um profissional da sua confiança é a melhor opção sempre, nada de Dr. Google! rs

33828806_216593238947327_9042664328712421376_n
Eu e a Dra. Renata, no Hospital Sírio Libanês em São Paulo

Beijos!

Bel ❤️

 

 

 

Dando Tempo ao Tempo

Continuo com a quimioterapia oral (Xeloda), terminei o 3º ciclo e estou indo para o 4º ciclo. Minhas mãos estão bem ressecadas, embora eu as hidrate sempre, além disso, elas   deram uma leve escurecida (na palma e nas cutículas) e começaram a surgir manchas nos dedos das mãos e dos pés. O meu lema continua o mesmo: paciência, pois sei que é passageiro.  Minhas unhas antes do câncer eram fracas e quebradiças, durante o câncer ficaram manchadas e quebradiças e agora pós câncer estão fortalecidas e bem maiores.

Os últimos dias têm sido uma correria, minha rotina anda pesada e sempre estou cheia de afazeres. Não reclamo! Acho ótimo, pois só de me lembrar do ano passado e de toda a minha luta vejo o quanto estou bem e cheia de vida. Apesar de todos os efeitos chatinhos da quimio oral eu tenho conseguido levar bem a minha vida. Hoje acordei e fiquei feliz porque depois de meses eu levantei sem sentir dores nas articulações ou enjoos.

IMG_1944

Se no início de Janeiro eu estava super inchada, com 18kg a mais na balança e tinha apenas uns fiapos de cabelo e absolutamente nada de cílios ou sobrancelhas, hoje já estou desinchada (não sei se completamente) e também tenho muito cabelo  (para quem não tinha nada… considero muito), eles até estão me dando um belo de um trabalho para ficarem arrumadinhos e no lugar! Rs

O que eu quero dizer com essas fotos é que tudo passa, tudo passa mesmo, é tudo passageiro. Se você estiver passando pelo câncer ou conheça alguém que esteja passando por esse momento, não se desespera não!!! Volta tudo para o seu devido lugar, os cabelos crescem com mais força, as unhas também e nós nos descobrimos mais fortes (seja emocionalmente, seja fisicamente, embora tenhamos algumas sequelas pós qt) e mais belos, tanto por dentro, quanto por fora. Em hipótese alguma eu cortaria ou rasparia meus cabelos, mas aceitei tudo isso e tenho vivido cada fase com bastante aceitação e serenidade, pois sei que foi o que Deus reservou para minha vida. Aos poucos tenho saído de casa e tenho voltado à minha vida social no ritmo que percebo que é saudável.

IMG_1910
Eu e minha amiga Bianca! ❤ 
IMG_1946
Fonte: Pinterest

… e há mesmo!!!

Beijos,

Bel ❤️