2ª parte da reconstrução mamária

E um ano depois da Mastectomia cá estou eu correndo com exames e consultas para passar pela cirurgia da 2ª parte da reconstrução da mama. Fiz todos os exames pré-operatórios novamente… Dentre eles: ressonância, exames de sangue e exames cardiológicos. A diferença é que agora eu não estou mais doente, apenas vou “reparar” e simetrizar as mamas.

Essa história de fazer os exames é bem chatinha, mas nada que eu não fosse tirar de letra, sabe? Lógico que fico um pouquinho ansiosa todas as vezes que vou pegar os resultados, mas é normal.

Me sinto tranquila, uma vez que não há nada a temer, até porque o pior já passou. Penso que essa 2ª parte é “fichinha” em comparação com a mastectomia que passei no ano passado. Além do mais, tenho muita confiança na Dra. Marcela (minha médica), tenho certeza de que ela sempre faz o melhor.

Também me sinto aliviada, pois de uma vez por todas me verei livre de tudo isso. Penso que depois da 2ª cirurgia eu irei me olhar no espelho e terei a certeza de que toda essa história já ficou no passado. E já é nessa sexta… Vou passar o carnaval todo de repouso, mas não acho ruim, eu preciso acabar com isso logo.

 Depois da cirurgia venho aqui contar como foi e como estou, mas já adianto que tenho certeza de que será um sucesso. Estou em paz, eu já passei por muita coisa e sobrevivi à todas as barreiras que enfrentei. E é por isso que eu mantenho minha fé inabalável e o pensamento positivo sempre.

Beijos,

Bel ❤️

 

Convivendo com um fantasma

A vida vai voltando ao normal, ou pelo menos eu tento fazer com que ela volte.

Costumo dizer o quão difícil é ter tido câncer, isso, porque qualquer dor, qualquer sintoma atípico acaba tomando proporções muito maiores do que realmente deveriam ter. Até comentei com minha mãe que eu convivo com um fantasma do câncer ao meu lado. Bom, eu tenho fé, mas mesmo assim esse fantasma me assombra, afinal é inevitável não ter medo, eu sou humana, eu tenho minhas angústias e as minhas fragilidades.

Há algumas semanas atrás comecei a sentir uma dor terrível nas costas… Cheguei a tomar remédios para dor, relaxante muscular, anti-inflamatório e fiz compressa gelada, mas a dor não passava. Por fim, decidi ir ao pronto socorro, o médico me receitou um remédio similar a morfina, mas ainda assim a dor não passava. Eu comecei a ficar apavorada. É que nessas horas eu começo a pensar em milhares de possibilidades e passa um filme de tudo o que eu vivi na minha cabeça. Até que no final das contas fiz uma ressonância do ombro e da coluna e me consultei com outra profissional de minha confiança. Pela graça de Deus, no resultado da ressonância deu uma tendinite no ombro direito e a Dra. diagnosticou com contratura muscular. Ela me receitou um anti-inflamatório,  salonpas,  compressa e spray anti-inflamatório. Eu saí tão aliviada e tão feliz do consultório dela… Felizmente eu já me sinto bem e sem dor hoje. Ufa!

A minha vida é assim… É conviver com a esse tal fantasma que me assusta e que me cutuca quando uma dor inesperada aparece. Mas também é conviver com uma alegria sem tamanho e com um alívio imenso quando descubro que não é nada demais. Eu realmente não sei se com o tempo isso vai normalizando, mas eu espero que sim.  Enxergo esses momentos como provações pelas quais devo passar. E se tem uma coisa que eu aprendi, é que eu devo retirar um aprendizado de cada situação vivenciada.

O que eu quero é aprender a conviver melhor com isso tudo. Eu sei que eu não posso deixar meus medos serem maiores que eu, também sei que não posso viver o resto da minha vida assim e é aí que eu entendo o quão importante é ter equilíbrio e sabedoria para lidar com esses momentos. Um dia de cada vez, sempre.

processos

Beijos,

Bel ❤️

Que venha 2019!

 

2018 está se encerrando e foi uma caixinha de surpresas. Iniciei o ano ainda doente, careca, inchada e na expectativa de passar pela mastectomia e agora finalizo o ano super bem, cheia de saúde, com muita disposição e renovada depois de uma viagem incrível pela Califórnia e por Nevada.

Infelizmente vi muitas pessoas partindo nesse ano em decorrência do câncer e isso me fez perceber o quão abençoada eu sou por estar bem e por ter sobrevivido. Como Deus é bom!

Assim como no último ano, eu enfrentei os meus medos, superei barreiras, amadureci, entendi que eu posso ter os meus planos, mas que Deus tem outros para mim (mesmo que eu não entenda de imediato). A diferença é que esse ano eu fui mais feliz do que triste. Também me encontrei e iniciei um projeto incrível que é o Câncer Sem Tabu.

Voltei a estudar, voltei a me exercitar, pude ir ao cinema, pude comer muito sushi, pude voltar a frequentar balada, voltei a dirigir, pude andar sem me sentir extremamente cansada, comemorei meu aniversário da forma que eu queria, fiz uma viagem dos meus sonhos e pude fazer as unhas (coisas que  talvez pareçam fúteis para você que está lendo, mas que eu tive que deixar em stand by enquanto eu estive em tratamento). Essas coisas me deixam mais feliz e fazem parte de quem eu sou.

Em dezembro viajei por quase um mês, fui para a Califórnia e para Nevada. Foi perfeito e único, pois depois do câncer eu fiquei extremamente dependente da minha mãe e essa viagem me fez perceber que eu posso voltar a voar e que eu posso caminhar com os meus próprios pés. Respirar novos ares, conhecer novas pessoas, visitar lugares incríveis me deixou renovada e era o que eu precisava para fechar o meu 2018 com chave de ouro.

A vida fez mais sentido depois que eu lutei por ela… Eu não sei explicar como isso aconteceu, mas eu sinto, sinto intensamente isso todos os dias.

O que eu desejo para o próximo ano é saúde em abundância, muitas realizações, quantos recomeços forem necessários e muita alegria. Que 2019 venha e seja essa caixinha de surpresas gostosas para todos vocês assim como 2018 foi para mim.

 

 Depois desses dias eu tive a sensação de que valeu a pena demais ter lutado pela minha vida! Eu lutei para poder viver momentos como esse.

Um beijo grande e um Feliz 2019!

Com amor,

Isabel ❤️