Vamos falar de gratidão?

Hoje eu decidi vir falar de gratidão. Essa palavra tão simples, com 8 letrinhas apenas, mas que tem tanto significado e que ultimamente tem feito tanto sentido na minha vida. Antes de passar por esse turbilhão de coisas eu vejo que eu não era nada grata, que Deus me perdoe. Eu reclamava de situações pequenas e que me tiravam do sério, não tinha muita tolerância e qualquer coisinha era sinônimo de muita dor de cabeça.

Talvez esteja na essência do ser humano ser insatisfeito e reclamar de tudo, mas isso não é certo. O nosso erro é querer sempre mais do que temos e acharmos que a grama do vizinho é sempre mais verde. Aprendi e entendi nesse último ano que devemos ver o lado bom de tudo e a vida pode sim ser mais leve, isso depende apenas de nós mesmos.

Graças a Deus eu tenho tido a oportunidade de conviver com realidades totalmente opostas à minha, isso tem me feito refletir o quanto sou privilegiada e o quanto eu devo ser grata. Esse choque de realidade tem me feito ser uma pessoa extremamente agradecida pela vida que tenho. Que bom que a minha percepção mudou e que bom que eu consigo enxergar a vida de outra forma.

Hoje eu quero agradecer. Agradecer por ter pais maravilhosos e por ter como mãe uma mulher excepcional, agradecer por ter pessoas que me amam e me apoiam ao meu lado, agradecer por ter um lar, agradecer por ter saúde, agradecer por ter uma boa assistência médica, agradecer por ter a oportunidade de ter acesso à uma boa educação, agradecer por acordar e respirar, agradecer por simplesmente ter motivos para agradecer! Deus tem sido muito bom comigo, hoje me sinto uma pessoa mais leve, mais tranquila e muito mais paciente. Foram os aprendizados que adquiri nesse último ano, mas não fique aí pensando que tudo isso veio de graça, teve um preço alto e esse preço foi o câncer, mas vejo tudo isso com muita parcimônia e apenas aceito e agradeço.

Ser uma pessoa grata – ao meu ver – não quer dizer que sua vida é perfeita,  que você não enfrenta problemas ou dificuldades, mas sim que você tem a capacidade de ver o lado bom de tudo, de extrair aprendizados, de ser resiliente, de buscar e encontrar felicidade e principalmente de que você é uma pessoa capaz. Tudo o que sentimos depende de nós mesmos e as coisas da nossa vida tem o tamanho da importância que atribuímos a elas. Nós somos responsáveis pelo que sentimos. Então vamos aceitar e agradecer.

Você já foi grato hoje?

Beijos,

Bel ❤️

Quimioterapia x Alimentação

Quando as pessoas falavam em câncer logo vinha à minha mente que todo paciente oncológico é debilitado, magro e frágil. Passando por todo esse processo e sentindo tudo na própria pele, vejo que não é bem assim.

Antes de iniciar meu tratamento a preocupação geral era de que eu não poderia perder peso para não comprometer minha saúde, pois era muito magra. Iniciei o tratamento pesando apenas 41kg!

Nunca fui de comer muito, sempre comi em quantidades que considerava o suficiente e desde sempre fui acostumada a ter uma alimentação saudável, mas adaptada ao meu gosto. Ao iniciar meu tratamento, todavia, percebi que passei a sentir muita fome. A todo tempo sinto vontade de comer e parece que quanto mais como, mais fome tenho. Até já me perguntei se isso não é algum tipo de compulsão, penso que não é normal, pois se pudesse, passaria o dia inteiro comendo.

Desde que me entendo por gente não gosto de gordura, fast food em excesso, carne vermelha, laticínios e derivados. Mas agora, tem dias que acordo e a primeira coisa que me vem no pensamento é um sanduíche, algum carboidrato ou algo hipercalórico. Não é à toa que em pouco mais de dois meses de tratamento ganhei 10kgs. Boa parte é inchaço e depois tudo volta ao normal, eu já sei.

Nessa fase de tratamento, Dr. João me disse que preciso evitar o açúcar, não preciso ainda encarar as restrições alimentares que farão parte da minha vida no futuro, uma vez que preciso estar forte e saudável.

Consultei uma nutricionista que também já passou por um câncer, e de acordo com a dieta enviada por ela procedi a algumas alterações na minha alimentação, tais como:

  • Aumentei o consumo de frutas, verduras e legumes (só os como em casa porque todos devem ser bem lavados e higienizados);
  • Aumentei a ingestão de água – embora ainda não esteja consumindo na quantidade ideal -, é superimportante para eliminar a toxicidade da quimioterapia no corpo;
  • Cortei refrigerantes e sucos industrializados;
  • Aos poucos venho tentando cortar o açúcar. Tem sido um pouco difícil, pois sou quase uma formiga;
  • Dou preferência aos alimentos orgânicos, os quais são produzidos com técnicas que respeitam o meio ambiente e visam a qualidade do alimento e são, especialmente, livres de agrotóxicos;
  • Também dou preferência a carnes magras e peixes, sempre bem cozidos, e por escolha pessoal só consumo frango orgânico;
  • Fui compelida a deixar de consumir sushi (que adoro), carnes malpassadas e alimentos processados;

Nos dias em que bate a vontade de comer algo diferente, óbvio que eu como, não me privo, mas sempre com prudência.

Confio inteiramente no meu médico, no que ele diz e no que tem embasamento científico. Não levo em consideração tudo o que publicam sobre alimentação e dietas destinadas a quem tem câncer. Descobri que se fosse levar ao pé da letra, ficaria paranoica e me alimentaria só de semente e água. Não mereço, penso que o mais importante é saber balancear e ter autocontrole na hora de me alimentar, uma alimentação saudável é uma grande aliada do tratamento.

IMG_8025

Beijos,

Bel ❤

Aprendizado…

As pessoas têm me perguntado bastante o que eu tenho feito para me manter tão tranquila nessa fase. A verdade é que não é nada fácil, tenho que trabalhar a minha paciência diariamente, de modo a manter meu equilíbrio. Isso porque sou uma pessoa bastante agoniada e sedenta pelo imediatismo das coisas, e de repente meu mundo virou de cabeça para baixo. Tenho aprendido que a fé e a esperança são bases sólidas que todas as pessoas que passam por essa situação precisam construir. O apoio da família e de todos aqueles por quem temos apreço é essencial. Além disso, há a terapia também. No meu caso, tenho um psicólogo excelente, o qual considero auxílio de extrema necessidade. Tive que aprender – e ainda estou me aperfeiçoando – a ser filtro: filtro de pessoas, de coisas que escuto, de energias, de tudo o que quero manter por perto ou não.

O que tem sido um aprendizado intenso é quanto ao meu astral. O meu dia é definido pela forma como acordo, se acordo bem, será um bom dia, caso contrário, certamente será um dia complicado. Percebi que as quimioterapias brancas têm me deixado bem irritada e mal-humorada, mas o meu natural é ser uma pessoa tranquila, por isso também estou trabalhando essa questão.

Mas tem algo de uma importância enorme que me dei conta. Todos sabem que nosso corpo é uma engrenagem. Pois sim, pois me dei conta de que para que essa engrenagem misteriosa funcione perfeitamente precisamos contribuir para que cada coisa fique no seu devido lugar, de modo que cada parte da engrenagem exerça sua função com êxito. Por isso, tenho dito a mim mesma, e se você passa pelo mesmo que eu, certamente eu diria que o mais importante (apesar dos efeitos das quimioterapias, apesar da careca, apesar do inchaço, apesar dos enjoos, apesar das insônias), apesar de tudo o que o câncer nos traz, precisamos permitir que nossa engrenagem misteriosa continue funcionando perfeitamente. Por isso precisamos:

  • Ter fé no Pai, Senhor de todas as coisas!
  • Encarar com altivez o câncer porque ele não é maior que nós!
  • Acreditar que tudo é passageiro e aprendizado;
  • Continuar a viver da maneira mais positiva possível;
  • Nos cercar de pessoas do bem;
  • Nos livrar daquelas que sugam nossas energias;

Filtrar apenas aquilo que vai nos acrescentar algo, deixando de escutar besteiras que muitas vezes pioram muito o nosso dia;

E agradecer. Agradecer a Deus! Agradecer pela família, pelos amigos, por todos aqueles que oram por nós! E nos manter firmes na consciência plena de que não podemos nos desgastar por qualquer coisa, de modo que a nossa engrenagem misteriosa volte para o trilho.

IMG_7810
Campanha de conscientização que participei sobre o Outubro Rosa feita pelo Hospital Anchieta de Taguatinga – DF  

Beijos,

Bel ❤️