1 ano de diagnóstico, 7º ciclo de Xeloda e um susto: tudo na mesma semana

       Senta que lá vem textão.

    Essa vida pós câncer não é nada fácil. A verdade é que a minha vida está super corrida, as férias acabaram e minhas aulas voltaram, estou fazendo matérias a mais, tenho minhas consultas, meus projetos, a rotina da medicação e por aí vai… Agora imagina conciliar tudo isso? Pois é. Uma bagunça. Mas eu não reclamo, não reclamo mesmo. Eu estou satisfeita assim, prefiro ter uma vida agitada ao invés de ficar parada.

    Essa semana iniciei o penúltimo e 7º ciclo do Xeloda e eu estou com grandes expectativas para acabar com isso logo, quero comemorar o fim dessa etapa que estou vencendo. Tenho levado o tratamento da seguinte maneira: são fases que passo e venço uma por uma!

    Os últimos dias foram bem difíceis…. Eu senti um nódulo na mama, palpável e perceptível a olho nu. Fiquei bem angustiada. Não é porque eu passei pelo câncer que eu estou preparada pra ficar levando esses sustos. Fui ao Dr. João, e é claro que ele pediu ultrassom para investigarmos. Passou todo um filme na minha cabeça e eu senti medo, muito medo. Medo de ser uma recidiva, medo de passar pelas quimioterapias novamente, medo de passar por tudo de novo. Eu tento manter a calma, mas para quem já teve câncer, ter um nódulo é assustador. No outro dia fiz ultrassom e graças a Deus não passava de um cisto de água, nada grave. Mas até eu ter essa confirmação eu perdi noites de sono, eu fiquei ansiosa e o meu emocional se desestabilizou completamente, mesmo que eu não externasse isso. Eu senti um frio na barriga muito grande, fiquei extremamente sensível… Realmente não desejo isso que eu passo para ninguém. Mas tudo bem, não passou de um susto muito chato.

     E olha que ironia da vida? Essa semana eu completo um ano de diagnóstico. E mesmo que tenha se passado um ano do pesadelo que eu vivi ao receber o diagnóstico, não consigo me esquecer da sensação, da dor e de tudo que passou pela minha cabeça no dia em que tive a notícia de que estava com câncer. É que ainda dói, embora eu consiga falar sobre isso muito bem, dói lá na alma relembrar tudo, foi muito sofrido. Só que vendo por outro lado, eu achava que não acordaria desse pesadelo e que ficaria presa naquele sofrimento todo, mas veja bem… Passou!!! Tudo passa nessa vida. E nesse um ano a minha vida virou do avesso e eu me transformei. Os meus conceitos, ideais e planos mudaram completamente, me aproximei de Deus, pude ter o privilégio de conhecer pessoas maravilhosas, passei por um mix de sensações e sentimentos, me descobri e me redescobri e só tirei coisas boas de tudo isso!

        Vivi e senti na pele a verdadeira essência da tal resiliência, e olha… me ajudou muito, muito mesmo. Tenha em mente que nada é para sempre, que momentos ruins passarão e que hoje sua vida pode estar nublada e em tempestade, mas depois vem o arco íris e depois desse arco íris vem o sol! Tenha otimismo, mantenha a cabeça erguida e nunca perca a sua fé. Tudo isso me ajudou e ainda me ajuda para que eu siga cada dia enfrentando meus medos e dificuldades e superando um por um.

     Hoje eu estou reaprendendo a me encaixar nesse mundo que não parou enquanto passei por tantas metamorfoses. Não quero ser repetitiva, mas já sendo: um dia de cada vez, sempre.

      Tudo passa.

PHOTO-2018-07-28-14-45-29
A prova de que tudo passa… coloquei as fotos em ordem cronológica! Essa sou eu ao decorrer do tratamento =) cabelos cada dia maiores, totalmente desinchada e mais feliz!!!  ❤
pinteres
FONTE: pinterest // @itktreinamentos

Beijos,

Bel ❤️

Alçando Voos

Com o câncer muitas coisas surgiram ou trocaram de lugar. O meu blog nasceu, novas amizades surgiram, novos sonhos brotaram e novos projetos instigaram a minha curiosidade. Resolvi abrir o meu coração e expor os meus dias e a minha rotina com a doença por aqui, algo que me ajudou MUITO e, de certa forma, me parece que tenho ajudado pessoas que se encontram no mesmo barco que eu também, pois quase que diariamente recebo um feedback considerável e bem bacana, seja no Instagram, seja por mensagens aqui no blog, seja no Facebook.  Isso me fez pensar e me fez refletir que eu não posso ficar parada. Não posso guardar o que tenho aprendido, pois percebi que posso ajudar as pessoas.

Refletindo mais e mais e indo lá no fundo dos meus pensamentos, senti que não está no meu livre arbítrio ajudar ou não as pessoas, é mais que isso: é uma missão. Sendo assim,  eu e minha amiga Cyntia – que também é paciente oncológica – sentimos a necessidade de levar isso adiante, então decidimos compartilhar toda a nossa experiência diante da doença.

Eu e a Cyntia somos totalmente diferentes, mas uma coisa nos uniu: o câncer! Daí surgiu uma amizade e dessa amizade brotaram vários interesses em comum: ajudar, compartilhar, reunir, integrar, acolher os pacientes oncológicos e/ou aqueles que possuem familiares/amigos/conhecidos nessa situação. Estamos acostumados a ver o câncer como um monstro, como algo fatal, como o fim do mundo, como algo aterrorizante. A bem da verdade, ele é um pouco de tudo isso, mas podemos ter uma postura positiva que muda todo esse cenário.

Câncer tem cura, apesar da palavra ser assustador, PODE e DEVE ser falada sem medo. E é por isso, que decidimos lançar um projeto de unir pacientes com todos os tipos de câncer. Muito se fala em câncer de mama, mas não é só ele que existe, existem N tipos de câncer.  Iniciamos o projeto um grupo no WhatsApp e com uma página no Instagram (@cancersemtabu), mas faz parte do planejamento promover encontros presenciais com rodas de conversa, grupos, palestras de conscientização e eventos que reunam todos nós, pacientes. Tudo isso em prol do bem, em prol do conhecimento, em prol da desmistificação do câncer.

Não importa aonde você faz o seu tratamento, seja pelo convênio ou pelo SUS, não importa se você mora aqui em Brasília ou em outra cidade, não importa se você tem/teve câncer de mama ou outro tipo de câncer, não importa se você está em outros grupos ou  faz parte de ONG’s, nós vamos te acolher. Daremos nossa palavra amiga e todo o nosso apoio. Nós queremos união, diálogo e ressignificar o câncer. Existe vida após o câncer, a vida é muito mais do que isso.

Caso você esteja interessado em fazer parte do grupo do Wpp, entre em contato comigo e com a Cyntia!

Captura de Tela 2018-06-14 às 12.35.16IMG_2747

IMG_2749
Eu e Cyntia na minha última QT 

IMG_2509

Beijos,

Bel ❤️

 

 

Dia Mundial do Câncer de Ovário

No dia 8 de maio é celebrado o Dia Mundial do Câncer de Ovário. 

Infelizmente o câncer de ovário é um dos mais difíceis de serem diagnosticados e o mais letal para as mulheres. A data torna-se fundamental para discutirmos e chamarmos a atenção para os sinais e sintomas da doença e a importância do diagnóstico precoce.

O câncer de ovário é também conhecido como “câncer silencioso”, pois seus sintomas podem se confundir com os de outras doenças, o que dificulta o diagnóstico precoce. Toda mulher deve estar informada sobre os possíveis sinais e sintomas e, o mais importante, deve saber a sua importância de procurar o médico ginecologista assim que notar que algo diferente está acontecendo em seu corpo. Ficar com dúvida, não ir ao médico ou deixar para amanhã são sempre grandes complicadores.

A informação é ainda a melhor defesa contra a doença e diversas organizações estão se unindo pelo mundo inteiro.

cadeovario

A cor do ca de ovário é o verde-água!

Todas as mulheres, independente da idade têm o risco de desenvolver câncer de ovário. Fique atenta aos sinais do seu corpo e visite o ginecologista regularmente!

No dia 8 de maio, vista o verde-água e multiplique a informação!

Fonte: Oncoguia

Chega de silêncio!!!

Beijos,

Bel ❤️