Encerrando uma fase com chave de ouro. Último ciclo de Xeloda!

Finalmente acabou o Xeloda!!! E foi ontem (29/08) no dia do meu aniversário, que presentão, né?! Oficialmente declaro como encerrado o meu tratamento pesado contra o câncer.

E o que eu quero dizer para você que vai tomar ou que toma a quimioterapia oral é que: é um tratamento confortável (porque tomamos os comprimidos em casa) e que embora existam os efeitos colaterais chatinhos como enjoos e pés/mãos manchados, tudo isso passa!

O que mais importa é a nossa saúde, não é mesmo? Vou enumerar algumas coisinhas que me ajudaram:

  1. Eu sofri alguns dias com enjoos e usei Vonau e o enjoo passava logo, também bebi bastante Gatorade de limão, sempre me ajudou!
  2.  Minha pele ficou ressecada e eu usei cremes hidratantes potentes.
  3. Meus pés e mãos ficaram manchados e bem escuros, sei que com o tempo isso vai sair, tenho paciência.
  4. Vez ou outra senti cansaço, mas uma boa noite de sono sempre resolveu.

img_5869

Há também quem diga que não sente absolutamente nada! Eu sei que só de falar a palavra ‘quimioterapia’ a gente se assusta, mas a minha experiência com o Xeloda foi relativamente tranquila. Só posso agradecer por ter tido a oportunidade de um excelente tratamento. Não tenho absolutamente nada a reclamar e sim mil e um motivos para agradecer.

Me sinto super bem, cheia de vida,  com saúde e com muita, mas muita sede de viver! Eu não sei como vai ser daqui pra frente, em setembro terei uma consulta com meu oncologista e ele irá me dizer como será, provavelmente ficarei fazendo exames de controle e devo tomar algum medicamento… Venho aqui no blog contar.

Nem estamos no final desse ano, mas já passei por muitas coisas, estou crescendo a cada dia e tenho superado barreiras! Não reclamo de nada, apenas busco aprender mais e mais com o que eu vivi. O câncer foi uma escola de amadurecimento na minha vida. rs

Minha mãe tem a minha eterna gratidão por ter vivido tudo isso comigo, por ter me apoiado e por sempre ter segurado a minha mão. Palavras não são suficientes para expressar tudo o que eu sinto… ❤

Bom, é isso! Me despeço dessa fase que levou 1 ano e 1 mês de tratamento, mas me despeço feliz, grata, com saúde, mais madura, revigorada e muito, muito feliz!

Beijos,

Bel ❤️

Vamos falar de gratidão?

     Hoje eu decidi vir falar de gratidão. Essa palavra tão simples, com 8 letrinhas apenas, mas que tem tanto significado e que ultimamente tem feito tanto sentido na minha vida. Antes de passar por esse turbilhão de coisas eu vejo que eu não era nada grata, que Deus me perdoe. Eu reclamava de situações pequenas e que me tiravam do sério, não tinha muita tolerância e qualquer coisinha era sinônimo de muita dor de cabeça.

      Talvez esteja na essência do ser humano ser insatisfeito e reclamar de tudo, mas isso não é certo. O nosso erro é querer sempre mais do que temos e acharmos que a grama do vizinho é sempre mais verde. Aprendi e entendi nesse último ano que devemos ver o lado bom de tudo e a vida pode sim ser mais leve, isso depende apenas de nós mesmos.

    Graças a Deus eu tenho tido a oportunidade de conviver com realidades totalmente opostas à minha, isso tem me feito refletir o quanto sou privilegiada e o quanto eu devo ser grata. Esse choque de realidade tem me feito ser uma pessoa extremamente agradecida pela vida que tenho. Que bom que a minha percepção mudou e que bom que eu consigo enxergar a vida de outra forma.

     Hoje eu quero agradecer. Agradecer por ter pais maravilhosos e por ter como mãe uma mulher excepcional, agradecer por ter pessoas que me amam e me apoiam ao meu lado, agradecer por ter um lar, agradecer por ter saúde, agradecer por ter uma boa assistência médica, agradecer por ter a oportunidade de ter acesso à uma boa educação, agradecer por acordar e respirar, agradecer por simplesmente ter motivos para agradecer! Deus tem sido muito bom comigo, hoje me sinto uma pessoa mais leve, mais tranquila e muito mais paciente. Foram os aprendizados que adquiri nesse último ano, mas não fique aí pensando que tudo isso veio de graça, teve um preço alto e esse preço foi o câncer, mas vejo tudo isso com muita parcimônia e apenas aceito e agradeço.

      Ser uma pessoa grata – ao meu ver – não quer dizer que sua vida é perfeita,  que você não enfrenta problemas ou dificuldades, mas sim que você tem a capacidade de ver o lado bom de tudo, de extrair aprendizados, de ser resiliente, de buscar e encontrar felicidade e principalmente de que você é uma pessoa capaz. Tudo o que sentimos depende de nós mesmos e as coisas da nossa vida tem o tamanho da importância que atribuímos a elas. Nós somos responsáveis pelo que sentimos. Então vamos aceitar e agradecer.

    Você já foi grato hoje?

Beijos,

Bel ❤️

Alçando Voos

Com o câncer muitas coisas surgiram ou trocaram de lugar. O meu blog nasceu, novas amizades surgiram, novos sonhos brotaram e novos projetos instigaram a minha curiosidade. Resolvi abrir o meu coração e expor os meus dias e a minha rotina com a doença por aqui, algo que me ajudou MUITO e, de certa forma, me parece que tenho ajudado pessoas que se encontram no mesmo barco que eu também, pois quase que diariamente recebo um feedback considerável e bem bacana, seja no Instagram, seja por mensagens aqui no blog, seja no Facebook.  Isso me fez pensar e me fez refletir que eu não posso ficar parada. Não posso guardar o que tenho aprendido, pois percebi que posso ajudar as pessoas.

Refletindo mais e mais e indo lá no fundo dos meus pensamentos, senti que não está no meu livre arbítrio ajudar ou não as pessoas, é mais que isso: é uma missão. Sendo assim,  senti a necessidade de levar isso adiante, então decidi compartilhar toda a minha experiência diante da doença.

Estamos acostumados a ver o câncer como um monstro, como algo fatal, como o fim do mundo, como algo aterrorizante. A bem da verdade, ele é um pouco de tudo isso, mas podemos ter uma postura positiva que muda todo esse cenário.

Câncer tem cura, apesar da palavra ser assustadora, PODE e DEVE ser falada sem medo. E é por isso, que decidi lançar um projeto de unir pacientes com todos os tipos de câncer. Muito se fala em câncer de mama, mas não é só ele que existe, existem N tipos de câncer.  Inicei o projeto um grupo no WhatsApp e com uma página no Instagram (@cancersemtabu), mas faz parte do planejamento promover encontros presenciais com rodas de conversa, grupos, palestras de conscientização e eventos que reunam todos nós, pacientes. Tudo isso em prol do bem, em prol do conhecimento, em prol da desmistificação do câncer.

Não importa aonde você faz o seu tratamento, seja pelo convênio ou pelo SUS, não importa se você mora aqui em Brasília ou em outra cidade, não importa se você tem/teve câncer de mama ou outro tipo de câncer, não importa se você está em outros grupos ou  faz parte de ONG’s, nós vamos te acolher. Daremos nossa palavra amiga e todo o nosso apoio. Nós queremos união, diálogo e ressignificar o câncer. Existe vida após o câncer, a vida é muito mais do que isso.

Caso você esteja interessado em fazer parte do grupo do WhatsApp, entre em contato comigo.

 

IMG_2509

Beijos,

Bel ❤️